A Polakinha da BR 116 One One Six

A Polakinha da BR 116 One One Six

Kobo ebook | November 1, 2018 | Portuguese

Pricing and Purchase Info

$3.99

Prices and offers may vary in store

Available for download

Not available in stores

about

Nasce uma menina comum num lugar comum com pessoas também comuns. A menina cresce e deixa o lugar adormecido em sua memória. Permanece com as pessoas comuns e vai viver às margens da rodovia BR 116, local que despertou muita curiosidade, despertou sonhos e desejos, os quais jamais imaginou possuir, ou até que existisse algo diferente do seu ingênuo e puro mundo perfeito. A partir dai a vida comum da menina comum passa a ser uma aventura às margens da rodovia que receberia mais tarde a fúnebre alcunha de "rodovia da morte." Passa a observar, viver histórias alheias, sonhar histórias e também viver a própria, misturada a tantas outras. Alegres ou tristes, verdadeiras e falsas, com amores puros, impuros, impossíveis... Uma única via, duas direções... mão dupla, vida dupla, morte, vida, anseios, devaneios, cheiros, sons, vontades, saudades, horizontes desejados, medos vividos, experimentados, sofridos indo e vindo, cruzando outras vidas, matando vidas, trazendo à vida, histórias, desejos, sonhos, paixões... (...) Suas referências vão crescendo e se modificando a cada nova informação ou experiência. Seus dias de mesmice acabaram, suas brincadeiras ingênuas e infantis foram rapidamente ganhando novas versões, emoções e dimensões. (...) Sua cabeça vive na velocidade do tráfego da rodovia, seu coração de menina em uma década passa a viver emoções de mulher, a querer ser mulher, apenas mulher num mundo de homens. Seu corpo cresce, deixa-a intrigada, nervosa, confusa. Seus por quês já tinham outro sabor Passou a ver uma parte da vida pelo retrovisor, vendo-a vivida, perdida, sonhada (...) Ao longo de sua trajetória escutaria de seu pai estes elogios: que entre todos os seus dez filhos, a mais corajosa era ela e também a mais bonita. Isso a fez refletir sobre suas próprias ações e a concordar no quesito coragem. Beleza externa sabia que tinha, assim como seu caráter a deixava bonita e querida por todos, mas, a seu ver, beleza física é algo muito subjetivo e incompleto.

Title:A Polakinha da BR 116 One One SixFormat:Kobo ebookPublished:November 1, 2018Language:Portuguese

The following ISBNs are associated with this title:

ISBN - 10:8554547268

ISBN - 13:9788554547264

Reviews

From the Author

Nasce uma menina comum num lugar comum com pessoas também comuns. A menina cresce e deixa o lugar adormecido em sua memória. Permanece com as pessoas comuns e vai viver às margens da rodovia BR 116, local que despertou muita curiosidade, despertou sonhos e desejos, os quais jamais imaginou possuir, ou até que existisse algo diferente do seu ingênuo e puro mundo perfeito. A partir dai a vida comum da menina comum passa a ser uma aventura às margens da rodovia que receberia mais tarde a fúnebre alcunha de "rodovia da morte." Passa a observar, viver histórias alheias, sonhar histórias e também viver a própria, misturada a tantas outras. Alegres ou tristes, verdadeiras e falsas, com amores puros, impuros, impossíveis... Uma única via, duas direções... mão dupla, vida dupla, morte, vida, anseios, devaneios, cheiros, sons, vontades, saudades, horizontes desejados, medos vividos, experimentados, sofridos indo e vindo, cruzando outras vidas, matando vidas, trazendo à vida, histórias, desejos, sonhos, paixões... (...) Suas referências vão crescendo e se modificando a cada nova informação ou experiência. Seus dias de mesmice acabaram, suas brincadeiras ingênuas e infantis foram rapidamente ganhando novas versões, emoções e dimensões. (...) Sua cabeça vive na velocidade do tráfego da rodovia, seu coração de menina em uma década passa a viver emoções de mulher, a querer ser mulher, apenas mulher num mundo de homens. Seu corpo cresce, deixa-a intrigada, nervosa, confusa. Seus por quês já tinham outro sabor Passou a ver uma parte da vida pelo retrovisor, vendo-a vivida, perdida, sonhada (...) Ao longo de sua trajetória escutaria de seu pai estes elogios: que entre todos os seus dez filhos, a mais corajosa era ela e também a mais bonita. Isso a fez refletir sobre suas próprias ações e a concordar no quesito coragem. Beleza externa sabia que tinha, assim como seu caráter a deixava bonita e querida por todos, mas, a seu ver, beleza física é algo muito subjetivo e incompleto.