O Tempo Que Se Foi De Repente by Marcos Avelino Martins

O Tempo Que Se Foi De Repente

byMarcos Avelino Martins

Kobo ebook | November 26, 2016

Pricing and Purchase Info

$8.09 online 
$8.99 list price save 10%

Prices and offers may vary in store

Available for download

Not available in stores

about

14º livro impresso do autor de “EROTIQUE”, “OS OCEANOS ENTRE NÓS”, “PÁSSARO APEDREJADO”, “CABRÁLIA”, “NUNCA TI, MAS NUNCA TE ESQUECI”, “SOB O OLHAR DE NETUNO”, “MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO”, “ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE”, “ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE”, “A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU”, “NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ”, “EROTIQUE 2” e “A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA”. Especialista em poemas românticos, líricos ou suavemente eróticos, sua poesia encanta pela fluência de rimas raras e poderosas, que levam o leitor a navegar por Universos nunca antes visitados, entre seres fantásticos, mergulhando no fundo do mar ou do olhar de suas personagens exóticas, em busca de amores ou sonhos impossíveis, reconciliações improváveis ou apenas filosofando sobre Poesia ou fatos da vida, em inesquecíveis histórias de amor, entre mulheres lindas, sedutoras e inesquecíveis, no mundo mágico criado pela imaginação do autor, com seu estilo romântico e envolvente, que emociona e enleva leitores de qualquer idade. Leitura imprescindível para os amantes da Poesia. Uma amostra de sua surpreendente poesia: “Compartilhei em silêncio minhas doces memórias, / De amor e esperança no que um dia há de vir, / Lembrando cada uma das diversas trajetórias, Que algum dia os nossos corações poderão seguir, / Pois o silêncio pode contar-nos lindas histórias / Que nenhuma palavra algum dia poderá traduzir!” “No fim do mundo, existe um farol, / Que, quando o céu escuro se enfurece, / Ilumina a noite como se fosse um sol, / Acalmando os navegantes como uma prece... O meu farol é o seu amor kamikaze, / Que, nas minhas horas mais sombrias, / Ancora meus pés e me serve de base / Para sobreviver ao mais furioso dos dias…” “Tentei dizer que te amava, mas não conseguia, / Meus olhos mergulharam ao encontro dos teus, / E naufragaram quando beijei tua boca macia...” “Beije-me como se não houvesse amanhã, / Como se esta noite fosse a última, / Como se eu fosse o seu único fã, / Como se eu secasse sua última lágrima.” “Durou apenas um segundo / O tempo entre a explosão / E os corpos espalhados no chão! / Parecia o fim do mundo, / Tanto sangue derramado nas ruas, / Tantas vidas desperdiçadas, / Quantas famílias despedaçadas, / Para as quais não haverá mais luas, / Nem lindos sonhos a conquistar!” “Olhando para minha imagem no espelho / Percebo que as rugas que o tempo / Espalhou pelo meu rosto / Não dizem nem metade das coisas / Do que as inúmeras cicatrizes / Que deixou em meu coração!” “O poeta vive a divagar, / Devagar, / E de repente / Derrapa nas curvas / Turvas / Da mente.” “E suas almas, condenadas ao inferno, / Para arder para sempre no 2º círculo interno, / Mas o que importa, se nosso amor será eterno?” “Descobri que o vento ouve meus pensamentos: / Sopra forte, quando estou solitário, / E se cala, quando cultivo o silêncio...” “A melhor definição de Poesia é o que se sente / Quando se ama alguém de verdade, / Quando o querer demais faz crescer uma chama, / Quando a completa renúncia se faz presente, / A ponto de trocar nossa vida pela de quem se ama...” “E quando estiver perto do fim, eu prevejo / Que, ao brotar dos céus o definitivo amanhecer, / Se Deus conceder-me esse final que antevejo, Ao teu lado quero ficar até a hora de adormecer, / E ao partir, será por certo meu derradeiro desejo / Dar-te um último beijo, e depois morrer...” “Ela não me dá mais um cumprimento / Desde que critiquei o seu comprimento, / Desde que o guarda lavrou-me uma infração, / Só porque critiquei a volta da inflação, / Desde que lhe disse que eu era um cavalheiro, / E ela pensou que eu era somente um cavaleiro,” “Eu ouvi quando você me telefonou / E fiz de conta que não ouvi o toque, / Mas quando o telefone tocou / Meu coração teve um choque!” “Não vou te dizer adeus, / Nem mesmo um até breve, / De eterno, só existe Deus, / O resto, é efêmero como a neve...” “Eu e você, minha dama, / Somos como queijo / E doce de goiaba: / Estaremos rolando na cama, / Entrelaçados num último beijo, / Enquanto o mundo acaba...” “Vou deixar de lado esse meu jeito sério, / E jogar-me nesse teu perigoso jogo, / Para investigar de perto o mistério / Escondido em teus cabelos de fogo!” “E enquanto a noite se tornava madrugada, / Naquele enlevo que a paixão cultua, / Eu me encantava com tua gargalhada, / E me embriagava na risada tua.” “Sonhos são fragmentos de vidas roubadas / Que nos colocam em situações complicadas, / Armadilhas que a mente prega no escuro, / No passado, presente ou até no futuro, / Talvez em algum sinistro Universo paralelo, / Presos no arcabouço de algum castelo, / À mercê de peçonhentas cobras ou sinistros dragões, / Ou de uma princesa que devora apaixonados corações, / Ou de um bruxo que nos roga feitiços de morte, / Dos quais só escapamos por caprichos da sorte!” “Escutou-se um barulho: BANG!, BANG!, / Abalando o silêncio da madrugada, / E sua roupa encheu-se então de sangue, / Que escorreu e tingiu de vermelho a calçada...” “O cãozinho, com sua pelagem tão bonita, / Com variados matizes de castanho, / Olha-me com olhos de tristeza infinita, / Grande demais para seu tamanho, … Por isto olha-me com esse olhar de puro abandono, / Cheio de tristeza por um tempo que não mais haverá, / Definhando à inútil espera de seu dono, / Que nunca, nunca mais voltará...” “Morena, teus olhos são traiçoeiros, / Espreitando-me sem transparecer, / Prometendo vulcões passageiros / E noites que irão me enlouquecer!” “Nós dois / A sós / Depois / Dois nós” “Por causa dessa tua insensatez / Nossa paixão se perdeu no espaço / Devido à imensa desfaçatez / Desse teu coração feito de aço Por causa dessa tua estupidez / Nossa relação virou estilhaço / Não sobreviveu à pouca solidez / De teu coração faltando pedaço” “E vamos navegando por essa estrada, / Para onde for que o vento nos leve, / Fazendo festa e amor até de madrugada, / Enquanto dura essa vida tão breve...” “Em meus oceanos, ficam submersos, / Mas ascendem, quando o mundo gira, / Pelas noites ardentes, ficam dispersos À procura de seus olhos cor de safira, / Que desafiam milhões de universos, / Escondidos no meio de minha lira!” “Estou em tua cola, / Em tuas pegadas, / Em teu rastro, / Em teus caminhos... Estou em tua sola, / Em tuas pomadas, / Em teu emplastro, / Em teus espinhos...“ “Até que enfim você desiste, / E desvenda o corpo lindo de doer. / E então a solidão pede licença, / E mansamente se ausenta,” “E então a paixão desperta / E o desejo aumenta, / O olhar aperta / E o corpo esquenta, / A volúpia explode / E o coração queima, / Um tremor nos sacode,” “Vejo em teus olhos o intenso brilho / De teu amor a me enlouquecer, / Que carrega junto o rastilho / De um novo Sol, prestes a nascer… E este amor perfeito faz-me sonhar / Com dias de carinho e eternidade, / Com noites de paixão e de luar, / E madrugadas de sexo e cumplicidade...”

Title:O Tempo Que Se Foi De RepenteFormat:Kobo ebookPublished:November 26, 2016Publisher:Clube de Autores

The following ISBNs are associated with this title:

ISBN:9990052363110

Look for similar items by category:

Reviews